ouvi e gostei #14

Money Mark. Produtor e músico, nascido em 1960 nos Estados Unidos. Fez parte dos Beastie Boys até 2011 e já gravou com montes de nomes conhecidos como os Rolling Stones, Iggy Pop, Nile Rodgers, Yoko Ono, Carlos Santana, Lee Scratch Perry, Jorge Ben, Dangermouse, Moby, Mixmaster Mike, the Yeah Yeah Yeahs, Red Hot Chili Peppers, Seu Jorge, Jack Johnson e The Mars Volta.

Eu ouvi-o e gostei, através do tema que vos deixo aqui “All the people” do álbum “Push the button” de 1998. Adorei as teclas todas, sobretudo o solo de piano, e o registo sexy da voz e da batida. Podem ainda passar pelo site dele que parece que em jeito de comemoração de 20 anos de carreira, ele oferece o download legal e gratuito do álbum “Marks Keyboard Repair”.

Airbnb – ou como tão cedo não ficar num hotel

Nestas últimas férias que fizemos, escolhemos um destino de praia que, por ser muito pequeno, rodeado de água salgada por 3 lados e ser histórico, não tinha muitos hóteis disponíveis. E os que estavam disponíveis eram caríssimos. Então, Pipi recusou-se a pagar 150€ por noite e pôs-se à procura de outras opções. Couch surfing não foi uma delas, porque eu sou uma medricas e acho sempre que vou acabar a estadia sem um rim ou porque fico com medo que me roubem a necessaire de 3kg da casa de banho, com toda a minha fortuna de beleza lá dentro. Vai daí que já tinha ouvido falar num blog (não sei precisar qual – leio muitos), do Airbnb. Basicamente é um site que fornece uma plataforma de reservas entre a pessoa que oferece a acomodação e o turista que a procura. Abrange mais de 500 mil anúncios em mais de 35.000 cidades e 192 países. Foi criado em 2008 e já foram feitas mais de 10 milhões de reservas. A pesquisa pode ser feita por apartamentos inteiros, normais, estadias excêntricas em bungalows ou castelos, ou estadias normais, tipo quartos – privados ou em casa de pessoas. A nossa opção recaiu num quarto privado dentro de uma casa que só fazia alugueres Airbnb – ou seja ninguém vivia lá permanentemente. O pagamento é feito para o site, é emitida uma fatura comprovativa e a reserva fica feita. Chegados ao destino, só têm de entrar em contacto com o anfitrião. Foi isso mesmo que fizemos, chegamos atrasados e fora da hora de check in mas comunicamos com o anfitrião e ele entregou-nos as chaves, explicou os procedimentos da casa e recebeu-nos muito bem (ainda por cima era todo jeitosão, cof cof). É evidente que muitas vezes esta história pode não acabar bem, convém ler as reviews de outros usuários com os olhos bem abertos antes de reservar. E como tudo na vida, é um negócio feito por pessoas – o que já se sabe, muitas não são de confiança. Riscos à parte, acho que a maior vantagem de embarcar numa estadia assim é que ficamos mais com aquela sensação de morador local e menos de turista, já para não falar nas vantagens de ter uma cozinha para pequenas refeições ou para o pequeno almoço, máquina de lavar roupa para uma eventualidade, etc. O anfitrião da casa só recebe o pagamento quando a nossa reserva terminar, o que nos dá tempo para reportar ao Airbnb se alguma coisa correr mal, ou houver muita disparidade entre o anúncio e a realidade. Connosco correu tudo bem, as expectativas corresponderam à realidade e depois…ter uma casa no centro da cidade, numa rua pedonal, com um pé direito destes, a 40€/noite…não é fácil de superar!casa ferias 2

Uma nova descoberta cheirosa: Clash Fragrances

Descobri esta marca de perfumes através da Youzz, que me tornou possível experimentar dois perfumes de uma maneira completamente gratuita. A Clash Fragrances é uma marca inglesa de perfumes, a um preço mais simpático que as marcas de perfumaria normal. Na Clash os perfumes estão agrupados por coleções de mulher (RIOT W, IN LOVE, URBAN CHIC, #GIRL) e de homem (RIOT M, SUIT & TIE, SPORTY) e organizados por notas de aromas mais fortes, mais suaves, mais frutados, mais amadeirados ou mais florais. A coleção da Clash é renovada anualmente com o lançamento de novas fragrâncias, na primavera e no outono, seguindo as tendências do mercado. Cada perfume resulta da inspiração dos perfumistas (de algumas das melhores casas – Armani, Dolce & Gabbana, Tommy, Chloe, Dior, Nina Ricci, Gucci, Burberry, Givenchy, Hugo Boss ou Valentino) convidados a desenvolver novas fragrâncias a partir dos melhores ingredientes naturais e sintéticos disponíveis, num processo criativo que é conduzido pela Clash.

Ora, então eu disponibilizei o meu nariz (que é grande q.b.) e lá fui à loja, descobrir quais os meus preferidos. Das 4 linhas de senhora, preferi a Riot e a Urban chic. Não que as outras fossem más, cheiravam até muito bem, mas eram frescos de mais, frutados de mais ou intensos de mais para o meu gosto. Fiquei assim com o Kate da linha Riot e o Victoria da linha Urban chic – mais florais e com aquele cheirinho de fundo a talco que eu tanto gosto. Gostei muito também do Love Potion, mas ficará para a próxima, até porque o identifiquei mais com o Verão, que infelizmente está a acabar. Adorei a decoração da loja, a paciência simpatia e o aconselhamento da funcionária e a qualidade de fixação dos perfumes em si. Têm também à disposiçaõ velas, gel de banho, sabonetes e outros produtos muito cheirosos! A Clash pensa e desenha cada linha para um mood ou estado de espíriro específico. Deixo-vos com os que me calharam na rifa.

(Podem ver mais novidades da Clash na sua página de facebook e podem inscrever-se na youzz aqui. A propósito, enviaram-me vales de desconto e ofertas da Clash, se estiverem interessadas mandem mail para oblogdapipi@gmail.com que tenho todo o prazer em partilhá-los convosco!)

          KATE
  • Families: FLORAL, FLORAL
  • Top notes: BERGAMOT, PEONY, ROSE, TEA, ROSE / ALDEHYDIC
  • Middle notes: JASMINE, ROSE THE
  • Dry down notes: CEDARWOOD, MUSK, RICE POWDER, VANILLA
Kate doesn’t give a damn about reputation. Rebellion is in her blood and she has rock’n’roll coursing through her veins. A sniff of this sizzling liquor will get you going and will ensure you’re the girl of the moment.
VICTORIA
  • Families: FLORAL, GREEN
  • Top notes: APPLE, BAYS, ROSE, GREEN / FRUITY
  • Middle notes: MUGUET, ROSE, VIOLET LEAVES
  • Dry down notes: CEDARWOOD, MUSK, DRY AMBER
Victoria doesn’t even need to try. She eases her way down every street. Paris, London, the Big Apple- the world is at her feet. Follow her steps and embrace her effortless attitude with these delicate drops of femininity.

Queques de limão e sementes de papoila

Comi um há dias e estava tão perfeito que me lembrei logo de partilhar a receita, fácil fácil e mesmo saboroso para o lanche. Eu que adoro limão e o ponho em quase tudo, estou fã.

Ingredientes:

  • 200 g de farinha de trigo com fermento
  • 1 colher de chá de fermento
  • 150 g de açúcar normal ou amarelo
  • 150 g de manteiga
  • 4 ovos
  • 1 limão (sumo e raspa)
  • colher de sopa de sementes de Papoila

 

Preparação:

Ligar o forno a 180 graus. Misturar açúcar e a manteiga amolecida e bater bem até ficar um creme branco. Juntar a farinha com o fermento e os ovos. Adicionar as sementes, a raspa  e sumo do limão, e mexer tudo muito bem. Deitar a massa em forminhas de papel ou daquelas de borracha até metade da altura. Polvilhar com mais sementes de papoila por cima e levar ao forno durante mais ou menos 20 minutos.

foto daqui.

ouvi e gostei #13

Ta Ku. É australiano – músico, produtor e fotógrafo de nome real Regan Matthews. Conheci-o (porque alguém o passou na gruta deprimente bar alternativo que frequento habitualmente) através do tema “Night 1” do álbum “25 nights for Nujabes”. Ábum esse que fez em tributo ao músico falecido Nujabes. O tema é bom, tem um som de estática de fundo muito engraçado e uma pianada muito interessante. É assim daqueles chilloutszinhos que sabem sempre bem ouvir e que não ficam mal em lado nenhum – num bar perto da praia e ao fim da tarde, num telefone enquanto se espera para ser atendido, num jantar de amigos ou numa noite romântica.

Ando numa de chill out – são fases. Mas ouçam lá e digam se não vos convence.

 

Entretanto soube que tem também um single, fresquinho fresquinho do início deste mês, que também me conquistou. “Love somebody” do álbum “Ta-ku & Wafia”.

É este aqui.

 

Noites de poesia #5

Não houve noite de poesia na primeira quinta feira do mês, mas mesmo que agosto já vá a meio, apeteceu-me partilhar este poema lindo:

RISKS 

To laugh is to risk appearing the fool,

To weep is to risk being called sentimental.

To reach out to another is to risk involvement.

To expose feelings is to risk showing your true self.

To place your ideas and your dreams before the crowd is to risk being called naive.

To love is to risk not being loved in return,

To live is to risk dying,To hope is to risk despair,

To try is to risk failure.

But risks must be taken, because the greatest risk in life is to risk nothing.

The person who risks nothing, does nothing, has nothing, is nothing, and becomes nothing.

He may avoid suffering and sorrow, but he simply cannot learn, feel, change, grow or love.

Chained by his certitude, he is a slave; he has forfeited his freedom.

Only the person who risks is truly free.

Janet Rand