Ouvi e gostei #1

Da chick – do the clap

Não conheço bem o álbum, mas a chick é a Teresa Freitas de Sousa que segundo sei – anda nisto da música por acaso e há pouco tempo. Felizmente parece-me que faz uma musiquinha boa, funk qb e que me conquistou com a resposta que deu numa entrevista à pergunta: “O que é isso de ser freak?” 

“- Ser freak é fazer o que me apetecer, dizer o que me apetecer e ir onde me apetecer.”

Eu também adorava ser totalmente freak. Ouçam o tema que é bem bom!

http://youtu.be/p3izd5Xm9Gw

Inês, a pequena compositora 

A Inês tem 8 anos e é minha aluna de iniciação ao piano. É daquelas miúdas a quem não me custa absolutamente nada dar-lhe (ou melhor, vender-lhe – sim porque todos temos de ganhar a vida) a aula. Não porque vá dar nenhum chopin – bem, nunca se sabe – mas porque tem um interesse descomplicado e genuíno quanto ao instrumento. Veio parar às minhas aulas porque já tinha Ballet antes e gostava de aprender a tocar “aquelas músicas que se ouvem lá”. Na aula passada, sentou-se ao piano e saiu-se com um: “professora, inventei uma música, mas para não me esquecer de te mostrar apontei aqui neste papel.” Eu olhei com carinho para a sua pequena composição, num cantinho de papel de envelope rasgado, ri-me baixinho e transcrevi-a para o caderno dela em linguagem musical…normal! É tão fofa, a Inês.

 

Sopa de trigo sarraceno

Que não sou nenhuma fada do lar, não é novidade para ninguém. Não faço cá pratos elaborados que não tenho tempo para isso. Mas uma sopinha, amigos… Uma sopinha daquelas bem boas, nutritivas e cheias de vitaminas, existe sempre nesta casa! Posso dizer que sou uma pseudo-quase-expert em sopas e que nunca levam menos de 6/7 ingredientes. Ora então, esta aqui saiu por acaso e ficou bem boa, ora atentem aqui na receita:

  • 1 batata
  • 1 cebola nova e grande
  • 3 dentes de alho
  • 1 courgette
  • 1 nabo
  • 2 cenouras
  • meio alho francês
  • meia couve flor
  • meia cabeça de brócolos
  • 1 chávena de chá de trigo sarraceno bem lavado e escorrido

Colocar um fio de azeite no fundo da panela, refogar a cebola, o alho francês e o alho normal, tudo cortado às rodelas. Depois colocar o resto dos legumes e colocar água a ferver até os cobrir. Temperar com sal a gosto. Cozinhar durante 40 minutos e triturar. Uma delícia!

As primeiras 5as feiras do mês – noites de poesia #1

Nas primeiras quintas feiras do mês costumo ouvir poesia. Também costumo ler algumas (mas poucas, porque a minha leitura orientada tantos anos para o infantil não me permite ler coisas muito dramáticas). Acabo por contribuir mais vezes com cantorias do que com poesias. Se bem que a letra é, na maior parte das vezes, já um poema. No entanto, ouvi um amigo dizer esta, e não resisti a deixá-la aqui:

Mude

“Mas comece devagar,porque a direção é mais importante que a velocidade. Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa. Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua. Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.

Apanhe outro autocarro. Mude por uns tempos o estilo das roupas. Dê os teus sapatos velhos. Procure andar descalço alguns dias.

Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas. Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda. Durma no outro lado da cama. Depois, procure dormir em outras camas.

Assista a outros programas de tv, compre outros jornais, leia outros livros. Viva outros romances!

Não faça do hábito um estilo de vida.

Ame a novidade. Durma mais tarde. Durma mais cedo.

Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.

Corrija a postura. Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias.

Tente o novo todo dia.O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito,o novo prazer, o novo amor.

A nova vida.

Tente.

Procure novos amigos.

Tente novos amores.

Faça novas relações.

Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.

Almoce mais cedo, jante mais tarde, ou vice-versa. Escolha outro mercado, outra marca de sabonete, outra pasta dos dentes. Tome banho em novos horários.

Use canetas de outras cores.

Vá passear em outros lugares.

Ame muito,

cada vez mais,

de modos diferentes.

Troque de mala, de carteira, de porta-moedas. Troque de carro. Compre novos óculos, escreva outras poesias.

Atire fora os velhos relógios, parta delicadamente esses horrorosos despertadores.

Abra conta em outro banco.

Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros, visite novos museus.

Mude.

Lembre-se de que a Vida é uma só.

Encontre um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.

Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino. Experimente coisas novas.

Troque novamente.

Mude, de novo.

Experimente outra vez.

Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores, mas não é isso o que importa.

O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia.

Só o que está morto não muda!”

Edson Marques.

(Adaptado por mim para português de Portugal)

Uma nova casa

No blogger desde 2005, achei que era tempo de mudar de ares.

Uma nova casa para escrever sobre mim, a minha vida, a minha música. Coisas que me apetecem dizer mas que até agora não tinham espaço próprio.

Ideias que às vezes podem ser completamente desconexas, mas que ainda assim quero tirar do papel e partilhar convosco.

Espero que gostem e que se divirtam comigo.