Cenas de gaja – gel ou pó?

Se há coisa que pode valorizar uma gaja mulher são as mãos, ou melhor as unhas, que também podem ser as dos pés. Quantas vezes vemos uma miúda mesmo gira mas depois com umas mãos horríveis, unhas amarelas ou roídas? E os pés, já perdi a conta a tanta boazona, de vestidinho e tal (principalmente no pico do verão) com a bela da sandália de salto alto, e depois umas unhacas no pézinho de fugir a sete pés? (Gostaram do trocadilho de fugir a sete pés…dos pés! Hã…foi bom, não acharam?) Ora, por isso é que não tenho as unhas naturais há anos! É um hábito como outro qualquer, eu já não me vejo sem as unhas pintadas, não consigo, pronto. Trabalho com as mãos e passo o dia a olhar para elas. Fiz unhas na manicure, todas as semanas certinhas, durante uns anos. Já tinha hora marcada semanalmente só para mim, uma coisa assim em chique. Só que depois veio a crise, uma pessoa tem de trabalhar mais para ganhar o mesmo e fiquei sem tempo para o tal compromisso semanal e sem vontade de ter uma despesa fixa todas as semanas. Então decidi ser eu a arranjar as minhas próprias unhas e até levo bastante jeito para a coisa. Também nunca vario muito: pinto-as sempre de vermelho (tenho aí uns 7 tons de vermelho diferentes) ou de risquinha francesa. O meu aliado sempre foi o verniz gel da essence com lâmpada – fácil, duradouro e barato. Andei anos e anos nisto, era fantástico, não estragava a unha, era brilhante, durava 10 dias e podia ser usado com qualquer verniz normal que gostássemos. Além disso podia usar colas, diluentes e tintas com os miúdos e ele sempre impecável.

O problema é que foi descontinuado, retiraram-no do mercado e nunca percebi porquê, visto que era um produto maravilhoso, com bons resultados e uma óptima relação qualidade preço. Quando me apercebi disso corri para todas as lojas que vendiam a marca e comprei todos os que consegui encontrar, para salvar a minha manicure caseira por mais um tempo. Eis senão quando, o meu stock chega ao fim e fui obrigada a arranjar (outra) solução. Não foi fácil, não queria gel porque não gosto da grossura artificial, não queria verniz gel porque é uma praga para retirar das unhas e ficam muito estragadas. Um verdadeiro dilema. Há uns tempos atrás ouvi não sei onde, que existia um novo método para fazer unhas – que não era gel, nem verniz gel, não usava lâmpada e que não estragava a nossa unha. Unhas de imersão em pó. Isso mesmo, leram bem, pó. Esperei uns tempos, até que chegaram ao salão onde ocasionalmente pinto o cabelo. Marquei para experimentar e fiquei completamente siderada com o resultado. Parecem gel mas não são, vão-nos mergulhando as unhas no tal pó e vão pintando com um verniz especial que é transparente. E depois mais pó e depois mais verniz. Há pó de várias cores e um selante a que junta um brilho no final. Ficam fininhas, fininhas e mesmo naturais. A unha fica incomparavelmente mais dura e  resistente do que com o verniz gel da essence, dura mais e é também muito mais caro. Mas é uma boa alternativa, principalmente para quem quer conservar a unha natural em bom estado. Chamam-se unhas SNS de imersão em pó, e pelo que percebi é uma espécie de acrílico mas de muito boa qualidade. Ganharam uma cliente, pode não ser para sempre, mas para alturas em que precisamos de unhas “longa duração”, sejam férias ou festas é uma aposta ganha. Experimentem e depois digam-me alguma coisa, vão ficar maravilhadas, como eu.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s