engate no LIDL

Eu sou pessoa que só faz compras no supermercado uma vez por semana. Porque acho mais fácil de gerir a lista do que preciso e o orçamento também, e porque não tenho muita paciência para andar em supermercados e passar tempo nas filas das caixas. Tenho ainda o estranho e indiscreto hábito de ver o que cada pessoa leva no tapete rolante à sua frente, e daí desenvolver teorias elaboradíssimas acerca do seu estilo de vida, família, emprego, etc.

Por exemplo quando vou atrás de um homem, na casa dos 40, que só leva uma garrafa de vinho, batatas fritas e camarões, penso: divorciado, pode ser que organize umas entradas em casa, ou então há jogo de futebol importante e eu não sei de nada. Quando vejo uma rapariga franzina, 20 e poucos, com ar frágil e que só leva ovos, vegetais e manteigas de amendoim, sementes e cenas dessas, penso: olha mais uma menina vegetariana, só lhe faz bem! E quando vejo senhoras à beira de explodir com putos ranhosos e ruidosos, cheias de pizzas, hambúrgueres, douradinhos e essas coisas, penso: coitada da mulher, deve ter um rebanho de miúdos a quem dar de comer quando chega a casa – vida de mulher é lixada!

Bem, esta peripécia amorosa (na qual só estive envolvida enquanto observadora atenta) passou-se no LIDL, que é o meu supermercado preferido. Primeiro porque tem dos melhores frescos do mercado – as alfaces deles comem-se com os olhos, depois porque tem o melhor e mais barato leite sem lactose do mercado, e todo um mundo de coisas boas. Além disso é o único supermercado na minha zona que tem pepinos baby e queijo quark bom e barato, coisas que valorizo muitíssimo. Isto para além de muitos outros produtos próprios que dão uns 10 a 0 às marcas brancas dos outros supermercados. É verdade que não tem tudo o que preciso e que por vezes ainda tenho de comprar uma ou outra coisa noutro sítio, mas é de longe o supermercado onde vou mais vezes.

Numa dessas minhas idas às compras deparei-me com esta técnica de engate, bastante agressiva por parte da menina da caixa. Senão vejam: à minha frente ia um rapaz, com os seus 30 anos, todo jeitosão – alto, todo fit, barba grande mas aparada, cabelo assim para o comprido, moreno, descontraído mas arranjadinho. (Eu só reparei porque estava a controlar as compras dele no tapete, tal como vos contei acima). A partir de agora vou chamá-lo de rapaz jeitoso. O rapaz jeitoso levava uma garrafa de cerveja de litro, uma de vinho, pão, queijo, chocolates e uma sobremesa gelada. Logo, teorizei (qual tia Maia) que é solteiro, e vai provavelmente a um jantar de amigos, para o qual ficou incumbido de levar uma sobremesa. A garrafa de vinho e de cerveja deve ter sido ele que quis levar por sua auto-recreação. O pão e o queijo era para comer logo ao chegar a casa, que aquilo logo se via que era corpinho de muito alimento. Bem, mas no meio desta análise toda, eis que a moça da caixa, passa os artigos do rapaz e….surpresa das surpresas, solta:

-“Olhe desculpe, mas vai ter de me mostrar o seu cartão do cidadão.”

O rapaz (garanto-vos que não tinha cara de miúdo, via-se bem que era maior de idade, eu diria uns 30 anos – já mencionei o facto de ele ser todo jeitoso?) ficou corado, perguntou se tinha mesmo de ser e tal, e afirmou que há muitos anos que não lhe pediam tal coisa. A menina da caixa sorriu no seu melhor estilo sedutor e mostrou-se irredutível. Enquanto isso, eu só me fartava de rir para dentro a topar a cena toda.

-“Aqui está!” – disse ele. E mostrou o cartão, atrapalhado. Não consegui ver, nem ela disse a idade do rapaz jeitoso. Mas demorou-se…ui, todo o seu tempo, a examinar o nome do rapaz e a fazer as contas à data de nascimento com um sorrisinho maroto no canto do lábio.

Entretanto eu continuava a rir-me para dentro, desta vez às gargalhadas (muah ah ah ah) e a pensar que, se isto não é engate agressivo, então não sei o que é.

O rapaz lá pagou as compras, um pouco nervoso, e foi à vida dele. Acho que ele deve ter ido todo o parque de estacionamento a pensar que nunca mais iria às compras ao Lidl ou que, pelo menos, nunca mais escolheria aquela caixa – porque quando o vi a arrumar as compras no carro, ele ainda abanava a cabeça de vez em quando.

E depois ainda dizem que os homens é que são uns engatatões agressivos. Sim, sim. Contem com isso.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s