suculentas de bolinhas: procuram-se!

A minha paixão por suculentas começou aqui, como vos contei. Desde essa altura tenho arranjado outras espécies, algumas dadas de presente outras pescadas de outros vasos, e descobri estas na net – que não encontro em lado nenhum. Se alguém tiver connects de outros tolinhos apreciadores deste tipo de plantas, uma tia afastada que tenha uma destas, digam coisas que eu gostava tanto de ter uma mudinha para um vaso aqui de casa!

Obrigada, vocês são uns queridos.

Imagem daqui e daqui.

encapar móveis, já vos posso falar da minha experiência

Lembram-se de vos ter falado neste post acerca da malta que anda a encapar móveis com papel autocolante? Pois bem, eu andava mortinha para experimentar e não descansei enquanto não o fiz! Aqui a Pipi tinha de pagar para ver. E como prometido, cá está o resultado! Pelo menos a opinião que ficou da minha experiência!

Então vamos lá: a primeiro coisa que tenho a dizer é que percebi logo que não comprei o papel que devia – de qualidade superior. Comprei um mais fracote, muito por culpa de não acreditar e estar céptica quanto ao projecto. Passando esta parte da qualidade do papel, tecnicamente não achei a tarefa muito difícil, fiz tudo sozinha. Primeiro limpei muito bem o móvel, e depois só usei mesmo o papel, chave de fendas para retirar os puxadores, um pano seco para passar por cima e um X-acto.

Usei um camiseiro de gavetas antigo, mas em bom estado, que estava na cor natural pinho e não tinha grandes defeitos na madeira. Depois fui cortando o papel tentanto não fazer emendas nas partes mais compridas (o móvel tem 1,40m) e colando devagarinho, puxando o papel e passando com o pano para não ficarem bolhas – essa parte correu bem, não ficaram nenhumas. O camiseiro tem 7 gavetas de tamanhos diferentes e foi necessário tirar os puxadores das gavetas, forrá-las e voltar a apertá-los no final.

O projecto em si correu bem, tive alguma dificuldade foi nos acabamentos: cantos e bordas do móvel, nunca sabia bem para onde dobrar o papel que sobrava nos cantos e cortar o excesso requer também alguma perícia com o x-acto, para não se notar mesmo nada.

Se voltaria a forrar um móvel assim?

Sim, é incomensurávelmente mais fácil do que pintar, mas esqueçam lá esta técnica se o móvel em questão não for totalmente direito e se não tiver ângulos totalmente rectos. Nunca na vida me arriscaria com madeiras redondas ou cantos arredondados. Por exemplo para móveis do IKEA, aqueles que toooooda a gente tem em casa e completamente cúbicos acho que é uma boa maneira de dar um “up” na coisa e os tornar originais de uma maneira muito fácil e barata. Basta escolher um papel com padrões ou riscas, por exemplo.

Fora isso compraria um papel mais grosso e de melhor qualidade para um projecto maior ou com maior visibilidade, do que este camiseiro. Além disso é rápido, fiz a colagem em todo o móvel em cerca de 3 ou 4 horas, sem ajuda – se não certamente teria sido mais rápido. Quanto ao preço também é um ponto positivo, gastei cerca de 6€ em 9 metros de papel e nada mais. Outro aspecto a referir é que experimentei descolar o papel (para ver como se comportava a madeira – e não fica nada estragada, o que pode ser bom para pessoas que gostam de mudar com frequência o aspecto dos móveis lá de casa).

Apesar de tudo, gostei do resultado e vou certamente voltar a fazer numa estante que está a precisar de ficar mais clean. E desta vez, vai ser ainda mais fácil, de certeza!