Rissóis de cogumelos

Já aqui vos disse, que na culinária, o que me tira do sério são os salgados. A maior parte das vezes, os aperitivos. Por exemplo quando vou a um casamento ou outra festa assim em grande: o que eu devoro são as entradas, para mim sempre muito melhores do que a refeição em si. E para tentar que não sejam tão nefastos, cá em casa nunca os frito, faço-os sempre no forno – não é bem a mesma coisa…mas as ancas agradecem. 🙂

Assim sendo, aqui fica a receita, com cogumelos frescos, que se é para ser em bom então que venha o belo do portobello, que é rijinho e tem bastante sabor!

Ingredientes:

Para a massa

  • 1 chávena almoçadeira de farinha integral peneirada
  • 1 chávena de água
  • 1 colher de sopa de margarina (costumo usar vaqueiro, mas outra também deve dar ou azeite, por exemplo)
  • Sal

Para o recheio:

  • 150 g de cogumelos portobello (ou outros)
  • 1 cebola grande picada
  • 4 dentes de alho picados
  • 1 colher de sopa de farinha de trigo
  • Azeite
  • 1 folha de louro, salsa, noz-moscada ou outras especiarias a gosto

 

Preparação

Costumo começar pelo recheio, para ir arrefecendo enquanto faço a massa.

Refogar a cebola e o alho e juntar os cogumelos picados grosseiramente. Deixar cozinhar até que toda a água dos cogumelos evapore. Junta-se a colher de sopa de farinha, e deixa-se cozinhar, se necessário, juntam-se 2 ou 3 colheres de sopa de água, mexendo bem, para ligar. Deixa-se cozer a farinha, mexendo sempre. Tempera-se com o sal, o louro e a noz-moscada e retira-se do lume. A consistência deve ser um pouco sólida para se poder colocar o recheio dentro da massa sem que escorra para fora. Deixa-se arrefecer para o creme solidificar.

Para a massa, leva-se a água com a margarina e uma pitada de sal ao lume, até ferver. Quando ferver deita-se a farinha toda de uma só vez e mexe-se rapidamente com uma colher de pau até fazer uma bola, que se começa a despegar do fundo. Retira-se do lume e deixa-se arrefecer um pouco. Trabalha-se então com as mãos sobre uma superfície lisa até que a massa fique homogénea e não cole às mãos. Estender a massa com o rolo até ficar bem fina. Com uma colher de chá, deitar sobre a massa um pouco de recheio. Dobrar a restante massa por cima e cortar com um copo ou cortador próprio. Voltar a esticar a massa e repetir este processo para toda a massa e recheio. Quando os rissóis estiverem todos prontos, passam-se por ovo batido e, seguidamente, por pão ralado. Dispõem-se num tabuleiro untado e levam-se ao forno médio a cozer até alourar. Não esqueça de os voltar a meio da cozedura.

É que até no forno ficam óptimos!

Com um arrozinho de tomate malandrinho, então…. ui!

foto daqui.

Anúncios

Farinha de mandioca (pau) com bacalhau

Um dos pratos que faço quando não tenho tempo para grandes cozinhados. Umas postas de bacalhau das partes menos nobres e um saquinho de farinha de mandioca bastam para fazer este repasto. Eu adoro! Adoro farinha de mandioca de todas as formas e feitios e uso muitas vezes em vários pratos.

Além disso a mandioca não tem glúten e é um alimento muito interessante, na minha modesta opinião! Assim sendo, cá vai a receita como eu a faço. É um prato bem saboroso que me lembra a minha infância!

Atenção que tem de ser bem temperado e feito um refogado generoso, senão não sabe a nada e depois ficam com as expectativas defraudadas.

Ingredientes:

  • 1 cebola grande picada
  • 2/3 dentes de alho picados
  • farinha de mandioca q.b.
  • sal q. b.
  • 2 postas de bacalhau desfiado cozido, sem peles e espinhas
  • azeite q. b.
  • 1 malagueta vermelha
  • água q.b.
  • 1 folha de louro

 

Preparação:

Cobre-se o fundo dum tacho com azeite. Acrescenta-se ao azeite, a cebola e os alhos picados, e a malagueta cortada fininho. Tempera-se com sal a gosto. Junta-se a folha de louro. Leva-se ao lume brando até a cebola amolecer. De seguida, vai-se juntando o bacalhau desfiado e deixa-se refogar um pouco. Vai-se acrescentando a água (eu uso a água de cozer o bacalhau), na quantidade de mais ou menos o dobro da quantidade de farinha que queremos preparar. Quando a água ferver, vai-se deixando cair por devagarinho a mandioca, mexendo sempre para não ficar com grumos. No fim depois de a farinha estar cozida, deve ter a consistência de um creme, nem muito espesso, nem muito líquido. Se precisarem podem colocar mais farinha para engrossar ou mais água se acharem que está muito grossa.

imagem daqui.

 

Muffin de brócolos

É, muffins salgados ainda não tinha visto, mas encontrei esta receita que vos deixo aqui e pareceu-me boa ideia, ficam tão lindinhos os brócolos dentro do bolinho. Além disso não é muito difícil de fazer e parece-me mesmo a calhar para uma opcão “take away” tipo piquenique ou um passeio dos miúdos. Então cá vai!

Ingredientes

1 Brócolo inteiro

2 ovos

meio quilo de puré de batata

50 gramas de manteiga

150 gramas de farinha normal ou integral

1 colher de sopa de fermento em pó

Sal e pimenta a gosto

uma pitada de caril, paprika, cebola e alho em pó (ou outros temperos ao vosso gosto)

1 pacote de queijo ralado

Preparação

Cozer os brócolos em água a ferver mais ou menos 1 minuto, para não ficarem muito moles, retirar e escorrer a água.

Separar as gemas das claras e bater as claras em castelo. Misturar as gemas com o puré de batata e a manteiga. Juntar a farinha com o fermento, o sal e as especiarias à massa. Misturar as claras em castelo a esta massa, envolvendo sem bater.

Barrar as formas de queque com manteiga e polvilhar de farinha. Colocar lá dentro um pouco de massa no fundo, o brócolo pequenino e preencher de massa novamente.

Polvilhar queijo ralado por cima da massa de cada queque e vai ao forno a 180 graus por mais ou menos 20 minutos.

Adorei a ideia e fica mesmo bonito o brócolozinho dentro do queque!

Receita de Muffin de brócolis fácil

Foto e receita adaptada daqui.

Bacalhau no forno com béchamel

Apesar de gostar muito de peixe, o bacalhau não é muito a minha cena. Gosto, cozido e tal no Natal, mas depois os pratos que mais gosto de bacalhau são feitos com ele desfiado, partes menos nobres portanto. Pataniscas, bolinhos de bacalhau, bacalhau à Brás e por aí fora. Acho que o que eu gosto mesmo é de restos de bacalhau.

Por isso aqui fica a receita que comi há dias – com bechamel. Uma delícia…calórica! Às vezes tem de ser.

Ingredientes:

4/5 Postas de Bacalhau demolhadas
Azeite
1 Cebola grande
Alho
Queijo ralado ou ovo batido ou pão ralado
Batatas – quantidade a gosto

couve ou espinafres (opcional)

Para o Bechamel (podem comprar já pronto em pacote, mas não é a mesma coisa)
Margarina
Farinha
Leite Frio
Noz Moscada
Pimenta
Sal

Preparação:

Cortam-se as batatas em cubos pequenos e vão a cozer. Entretanto corta-se a cebola às rodelas e vai ao lume juntamente com os alhos picadinhos e o azeite. Adiciona-se o bacalhau desfiado e deixa-se apurar. A senhora minha mãe (que tem a mania de inventar nas receitas, coloca couves – aquelas do Natal – bem cortadinhas fininhas, neste refogado. Fica tipo um esparregado misturado com o bacalhau. Fica bom mas é opcional).

Preparação do bechamel: num tachinho deixamos derreter cerca de 2 colheres de sopa de margarina junta-se imediatamente a farinha (+/- 2 colheres de sopa ) e mexe-se muito bem. Assim que farinha estiver a ficar esbranquiçada deita-se leite frio ( +/- 3/4dl) e deixa-se engrossar mexendo sempre. Tempera-se com sal, pimenta e noz moscada.

Unta-se um tabuleiro e coloca-se no fundo as batatas, por cima o refogado do bacalhau (com couves ou não) e por fim o molho. Polvilha-se com queijo ralado ou ovo batido ou pão ralado (como gostarem mais) e vai ao forno a gratinar.

Uma delícia!

Resultado de imagem para bacalhau molho bechamel

imagem daqui.

Bolo de cenoura e laranja com especiarias

É verdade que a comida que me tira do sério é comida mesmo, e não doces, como a maioria das pessoas que conheço. Passo bem sem bolos, mas quem me tira a minha açorda ou feijoada, tira-me tudo. De maneiras que não faço muitos bolos, mas quando faço gosto de experimentar coisas novas, como este bolinho que vos mostro aqui, aromático que só ele. Para um lanche domingueiro não há melhor.

Ingredientes:

2 ovos

120 gramas de açúcar amarelo

3 colheres de sopa de azeite

1 cenoura

1 laranja

7 colheres de sopa de aveia

100 gramas de farinha integral

1 colher de sobremesa de fermento

1 colher sopa de noz moscada

1 colher de café de cravinho em pó

1 colher de sopa de canela

 

Preparação:

Bater as gemas com o açúcar na batedeira até obter um creme. Adicionar o azeite, a cenoura finamente ralada, a raspa da casca e o sumo da laranja e misturar bem. Juntar a aveia, a farinha, o fermento e as especiarias e mexer até a mistura estar uniforme. Bater as claras em castelo bem firme e incorporar delicadamente na massa. Deitar tudo numa forma previamente untada e levar ao forno durante 30 minutos a 180 graus. Fazer o teste do palito e já está!

Belo lanche!

imagem daqui.

migas de grelos biológicos

Comprei diretamente do produtor um molho de grelos com um aspeto divinal, tenrinhos tenrinhos! mas não os conseguia comer todos só cozidos. Então lembrei-me daquelas migas divinais que se comem habitualmente no alentejo e que me lembram de férias quando era mais miúda. Nunca tinha feito, mas ficaram óptimas. Mais houvesse, mais se tinham comido. E lá foi o molho de grelos.

A receita que usei foi esta, com algumas adaptações, e resultou mesmo bem!

Ingredientes:

  • 1 molho grande de grelos
  • 1/2 broa de milho
  • 5 dentes de alho (bem picados)
  • sal q.b
  • azeite q.b
  • bicarbonato de sódio q.b
  • cogumelos ou feijão vermelho ou frade

Preparação

Lavar muito bem os grelos, tirar os talos mais duros e as folhas estragadas.
Cozer por 3-5 minutos em água fervente temperada de sal e bicarbonato de sódio.
Escorrer bem e picar os grelos. Numa frigideira colocar o azeite e o alho. Deixar um bocadinho e esfarelar a broa de milho lá para dentro. Adicionar os grelos picados e envolver. Cozinhar em lume brando, regando, caso necessário, com um pouco de água de cozedura dos greles e/ou azeite. É importante que a mistura não seque, mas também não deve ficar muito empapada. Temperar com sal e pimenta, deixar cozinhar mais um pouco e servir. Há quem junte feijao frade ou vermelho. Eu juntei cogumelos e ficou bom também.

Vou voltar a fazer sem dúvida!

imagem daqui.

Salmão com broa

Ainda não fiz exactamente esta receita, mas gosto muito de salmão, especialmente se for fresco e grelhado. Mas assim também me parece uma óptima opção e não muito difícil de fazer, pelo contrário, sou adepta daquelas receitas em que se vira tudo para um recipiente e já está – neste caso esse recipiente é a picadora. Like!

A receita é daqui e a imagem também. Se alguém se quiser chegar à frente e experimentar primeiro, façam favor!

Ingredientes (para duas pessoas):

  • 2 lombos de salmão
  • Sal e pimenta branca q.b.
  • Sumo de Limão
  • 150g de broa de milho
  • 3 dentes de alho
  • 1 ramo de coentros frescos
  • 1 fio de azeite

Preparação:

Tempere os lombos de salmão com sal, pimenta e um pouco de sumo de limão.
Deixe descansar uma hora. Numa assadeira, deite um fio de azeite no fundo. Por cima disponha os lombos de salmão. Na picadora coloque a broa aos pedaços, os alhos, os coentros e um fiozinho de azeite. Pique bem até obter uma “pasta”. Coloque essa pasta por cima dos lombos de salmão. Regue com mais um fiozinho de azeite. Leve ao forno pré-aquecido nos 200ºC durante 15 a 20 minutos ou até estar cozinhado e dourado. Acompanhe com batatas cozidas e brócolos cozidos.